Comparativo entre Mercado à Vista e Mercado Futuro

Quando falamos em operações em bolsa, é comum traçar expectativas e estimar a tendência de mercado para o futuro. Esse momento pode ser de longo ou curto prazo, durar anos ou segundos.

É importante reunir todas as variáveis que envolvem o ativo objeto da negociação e interpretá-las para tomar a decisão de comprar ou vender.

Aqui, identificamos a primeira diferença entre os mercados.

Variáveis de tomada de decisão


Os riscos envolvidos são divididos em 2 grupos: sistêmico e não sistêmico.

Risco não sistêmico


São os fatores que determinam o preço de um ativo.
Uma empresa petrolífera, por exemplo, tem os seguintes fatores de risco não sistêmicos:

  • Preço do petróleo no mercado internacional
  • Regulação do mercado local e internacional
  • Política interna da empresa
  • Resultados da empresa
  • Imagem da empresa
  • Entre outros

Risco sistêmico


É o risco soberano, que não é específico de nenhum ativo ou setor, mas que afeta todos o mercado. São determinantes para as tendências macroeconômicas. Alguns exemplos:

  • Alterações nas taxas básicas de juros
  • Taxa de câmbio
  • Indicadores de inflação
  • Indicadores de atividade econômica
  • Entre outros

Cada um desses fatores também têm suas próprias variáveis. O preço do petróleo no mercado internacional, por exemplo, é afetado pelas produções regionais, pela posição dos grandes players nas bolsas pelo mundo, pelos conflitos nos países produtores etc.



Ibovespa à vista x Ibovespa futuro

O micontrato futuro de Ibovespa é um ativo que tem negociação em bolsa e sua liquidez é comparada às ações mais líquidas negociadas na Bovespa.

Funciona assim: sua cotação é em pontos e cada ponto vale R$ 0,20, ou seja, ao comprar um contrato a 70 mil pontos e vendê-lo a 70.100, há ganho de R$ 20,00 (70.100 - 70.000 X 0,20).

Sua correlação ao Ibovespa à vista é garantida pelos ajustes constantes das arbitragens, conforme demonstrado no gráfico. A evolução verde representa o Ibovespa à vista; a amarela, o Ibovespa futuro

Segurança e liquidez que você procura

Quando o investidor aplica em Bolsa pelo mercado à vista, deve analisar a compra de uma ação específica ou de uma carteira de ações pela análise dos riscos específicos de cada uma das ações e também pelo risco sistêmico do mercado. Com os fatores favoráveis, compra-se a carteira para uma venda futura.

Ao optar pelo mercado futuro de Ibovespa, deve analisar somente os fatores não sistêmicos. Se interpretar alta na bolsa, o investidor compra contratos futuros para venda futura. Se a interpretação for de baixa, deve vender contratos para uma compra futura.

O Ibovespa futuro permite posições compradas ou vendidas, pois ajusta o diferencial de pontos da compra para venda ou da venda para compra, creditando ou debitando em sua conta-corrente o equivalente em reais.



Outras comparações

Custo de negociação

É um dos fatores determinantes para operar na Bolsa. Quanto maior é esse custo, maior o diferencial de preço entre compra e venda, pois as estratégias operacionais visam um resultado que cubra os custos operacionais e gere lucro.

Na Bradesco Corretora, os valores de corretagem para operações com minicontratos não são corrigidos desde 2004, o que possibilita diversas opções de investimento para os players do mercado.

Confira o comparativo de custos de uma operação realizada no mercado à vista e outra no futuro de Ibovespa:


Tabela de custo de negociação


Mercado à Vista Mercado Futuro
Compra de uma carteira de R$ 14 mil Compra ou venda de 1 minicontrato de Ibovespa equivalente a R$ 14 mil (70 mil pontos x R$ 0,20)
Custo operacional de corretagem + emolumentos, contemplando o desconto de 50% praticado pela grande maioria no mercado:
R$ 44,90
Custo operacional de corretagem + emolumentos integral praticado pela Bradesco Corretora no mercado de mini Ibovespa futuro: R$ 2,00

Um operação de day trade feita com minicontratos de Ibovespa requer uma variação de apenas 15 pontos de índice a favor do seu trade para gerar lucro.


Disponibilidade de caixa


Tem influência direta na rentabilidade. Confira:


Tabela de disponibilidade de caixa


Mercado à Vista Mercado Futuro
Compra de uma carteira de R$ 14 mil Compra ou venda de 1 minicontrato de Ibovespa equivalente ao financeiro de R$ 14 mil (70 mil pontos x R$ 0,20)
Valor efetivo de compra: R$ 14.044,90 Valor de margem requerida para um contrato de mini Ibovespa em 08/04/2010 + custo de corretagem: R$ 2.702,00
Valor aproximado bruto para uma oscilação de 10% no Ibovespa: R$ 1.400,00 Valor aproximado bruto para uma oscilação de 10% no Ibovespa: R$ 1.400,00

A diferença é que, no mercado à vista, o ajuste do diferencial de 10% para operações normais é feito no ato da venda. Já no mercado futuro (operações de day trade), o ajuste é feito em D+1. Em caso de posição não encerrada, os valores são ajustados diariamente até o encerramento.

O encerramento da operação no mercado futuro ocorre com a realização da operação inversa a da abertura, nos mesmos moldes do mercado à vista de ações, onde a compra se encerra com a venda e vice-versa.


Liquidez

O mini-índice é um ativo com bons números quando o assunto é a liquidez. Permite que o investidor entre e saia do contrato quando desejar a preços ajustados pelas arbitragens e estratégias utilizadas.

As ações pertencentes ao Ibovespa têm grupos de classificação de liquidez, algumas tão líquidas quanto o índice futuro, outras menos.

Uma estratégia com ações exige análises específicas, ação por ação. Além dos fatores determinantes de formação de preço de cada ação, é preciso analisar fatores de liquidez de cada empresa e se, ao comprarmos ou vendermos uma ação, conseguiremos preços justos por ela.

O investimento em Bolsa, quando feito a longo prazo, é comprovadamente o mais rentável.

Quando analisamos o longo prazo, a grande maioria dos fatores aqui listados se tornam irrelevantes. Porém, a curto e médio prazos, todos esses fatores se tornam importantes e podem inviabilizar operações.

Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários, instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.
Toda comunicação através da rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas, nos termos da Instrução 380 da CVM.
Todas as cotações, disponibilizadas na área aberta do site, possuem defasagem de aproximadamente 15 minutos.